Operação Faroeste

Ex-presidente do TJ teria pedido favores a Rui Costa, diz ministro

A magistrada teria pedido ajuda do chefe do Executivo estadual baiano e de um juiz federal para a empresa de táxi aéreo

29/11/2019 09h52Atualizado há 2 semanas
Por: Sandro Araújo
Fonte: BN
Foto: TJBA durante reinauguração do Fórum de São Gonçalo dos Campos, onde a ex-presidente tem uma propriedade.
Foto: TJBA durante reinauguração do Fórum de São Gonçalo dos Campos, onde a ex-presidente tem uma propriedade.

A ex-presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago teria pedido favores ao governador Rui Costa (PT), conforme trecho da decisão do ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O ministro do STJ tirou o sigilo do processo que envolve a Operação Faroeste, deflagrada pela Polícia Federal na semana passada, que visa apurar um suposto esquema de venda de decisões no TJ-BA.

De acordo com ele, a magistrada teria pedido ajuda do chefe do Executivo estadual baiano e de um juiz federal para a empresa de táxi aéreo. “Assim, caso de fato a empresa de Taxi Aéreo esteja vinculada a Guiné Bissau e a Adailton Maturino, deduz-se que a desembargadora estaria pedindo favores ao governador e ao juiz federal em benefício do investigado”, diz um trecho da decisão.

Maria do Socorro e Rui Costa estiveram em São Gonçalo dos Campos em agenda oficial na reinauguração do Fórum Ministro João Mendes, em 23/01/2018. Rui esteve presente a convite da ex-presidente, que também o recepcionou com um café da manhã em sua Chácara, que se localiza praticamente no centro da cidade. De acordo com o jornal O Globo, São Gonçalo aparece em uma planilha de pagamentos "Contas 2019", onde foram encontradas despesas como pagamento de IPTU de imóveis “supostamente pertencentes”, a desembargadora, nas seguintes localidades: “Canela, Praia do Flamengo, Graça, Praia do Forte, Penha e outro denominado São Gonçalo dos Campos”.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.